‘Cabe ao TRE, se entender necessário, responder’, diz Márcio Murilo sobre crítica de servidora do TJ à Justiça Eleitoral

‘Cabe ao TRE, se entender necessário, responder’, diz Márcio Murilo sobre crítica de servidora do TJ à Justiça Eleitoral

12/07/2019 às 19:30 Vista: 40 Vez(es)

O presidente do Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB), Márcio Murilo, não quis se manifestar sobre o comentário de uma servidora da corte, que nesta sexta-feira (12) sugeriu, na rede social Instagram, que “é tudo arranjado” no âmbito das decisões da Justiça Eleitoral na Paraíba.

Conforme Márcio Murilo, não cabe ao TJPB se manifestar sobre um comentário dirigido a outra corte.  “Eu entendo que essa questão pertine ao órgão destinatário da mensagem dela, que é o TRE. Cabe ao TRE, se entender necessário, dar alguma resposta. Mas não compete ao tribunal fazer comentário sobre um comentário acerca do TRE”, explicou o desembargador.

A servidora em questão, Glauce Rodrigues da Cunha Lima, é irmã do ex-senador Cássio Cunha Lima. Ela escreveu o comentário em uma publicação de Cássio com críticas à Justiça Eleitoral. “Na Paraíba, a Justiça Eleitoral não apenas tarda, como também falha. Usa dois pesos e duas medidas. Asco!”, exclamou Cássio Cunha Lima.

Entenda

Começou nesta quinta-feira (11), o julgamento da Ação de Investigação Judicial Eleitoral conhecida como a ‘Aije do Empreender’, movida pela Procuradoria Regional Eleitoral da Paraíba contra o ex-governador Ricardo Coutinho (PSB) e a atual vice-governadora Lígia Feliciano (PDT) e ex-auxiliares do governo. Nesta ação eles são acusados de abuso de poder político e econômico no período pré-eleitoral de 2014, através do programa Empreender Paraíba, da entrega de Kits escolares e da contrafação de servidores codificados. A ação pede a inelegibilidade de Ricardo Coutinho.

O desembargador Ricardo Porto rejeitou a maior parte das acusações referentes ao programa Empreender, não concordou com a inelegibilidade do ex-governador, mas votou pela aplicação de multa de 50 mil ao socialista. Após o voto do relator, o desembargador Antônio Carneiro de Paiva pediu vista e o julgamento será retomado na próxima quinta-feira (18).  O voto do relator do processo causou reações favoráveis e contrárias ao TRE nas redes sociais.

Confira a publicação do senador Cássio Cunha Lima sobre a Justiça Eleitoral.

O post ‘Cabe ao TRE, se entender necessário, responder’, diz Márcio Murilo sobre crítica de servidora do TJ à Justiça Eleitoral apareceu primeiro em Polêmica Paraíba.

VIA: Polêmica Paraíba

Deixe seu comentário