Delegado ressalta a necessidade de mudanças na legislação para garantia de segurança

Delegado ressalta a necessidade de mudanças na legislação para garantia de segurança

03/08/2016 às 12:30 Vista: 95 Vez(es)

O delegado da 10ª Delegacia Seccional da Polícia Civil da Paraíba, Iasley Almeida, disse que não consegue enxergar uma situação de descontrole na segurança de Campina Grande.

Entretanto, Iasley ressaltou que o aumento da criminalidade aconteceu nacionalmente e é refletido na cidade. Porém, não inibe o trabalho realizado pela Polícia Civil.

Segundo o delegado, no primeiro semestre de 2016 houve um aumento de 92% das prisões feitas pela Polícia Civil em comparação ao mesmo período do ano de 2015.

Ele contou que mora em Campina Grande há alguns anos e experimenta a sensação de segurança no município.

Foto: Paraibaonline

– Eu sempre me senti muito bem e seguro em Campina Grande, até porque eu frequento outras cidades da Paraíba e outras cidades do Nordeste. Mas, isso não significa dizer que nós cidadãos estamos impedidos ou protegidos de uma possível e eventual ação criminosa. Campina Grande, realmente, está vivenciando um momento de turbulência. Isso já é sentido e exige uma ação das polícias, dos órgãos operativos da segurança pública do Estado para frear esse pequeno aumento da violência que é sentida, principalmente, por nós cidadãos, pelos pais, mães, filhos, estudantes e empresários. Esse momento não é só para etiquetar e criticar, é um momento de unir forças, mostrar que a sociedade civil organizada juntamente com os órgãos operativos de segurança pública é o mecanismo necessário para dar uma resposta imediata e dura para os criminosos – falou.

O delegado acredita que a legislação processual penal é branda e deixa lacunas através do pretexto de garantias de direitos, mas que negativamente contribui para o aumento da criminalidade e benefícios para criminosos.

– Nossos legisladores e o Congresso Nacional tem que, uma vez por todas, abrir os olhos e fazer uma mudança legislativa que venha transformar um sistema penal com natureza preventiva e com um duro poder repressivo. Eu costumo dizer que, para o processo de contenção da violência, temos que ter um ciclo completo desde o processo educativo das crianças e adolescentes a uma legislação dura, firme, completa, um sistema repressivo por parte da Polícia Civil, por parte da Polícia Federal, com a natureza ostensiva da Polícia Militar, da Polícia Rodoviária Federal, através de aplicação de penas duras por parte dos judiciários, mas também um processo ressocializador que provoca o sentimento de responsabilidade e de punição por parte dos criminosos através do sistema prisional. Hoje, em Campina Grande e no Brasil, é um sistema prisional cada vez mais precário, não por conta dos seus gestores, mas por conta desse aumento da criminalidade que gerou a maior quantidade de prisões e gerou a superlotação carcerária – concluiu.

*As informações foram veiculadas na Rádio Campina FM. 

VIA: Paraiba Online

Deixe seu comentário