Em Patos, artesão realiza atendimento se queixando de dor de dente e descobre que tem câncer na boca em estágio complexo

Em Patos, artesão realiza atendimento se queixando de dor de dente e descobre que tem câncer na boca em estágio complexo

14/09/2018 às 19:00 Vista: 173 Vez(es)

Após se queixar de dor de dente, o senhor José Pergentino da Costa, 50 anos, residente no Conjunto Bivar Olinto, em Patos, teve a ajuda de uma sobrinha para conseguir atendimento odontológico no setor público em busca de solução para o problema, pois a família é de origem humilde.

O senhor José é artesão e peregrina por bairros de Patos e das cidades vizinhas vendendo os objetos que faz com muito esmero. As dores de dente começaram já faz algum tempo, mas só após a sobrinha se encontrar com ele foi que viu a situação e decidiu sair ao lado do tio para tratar do problema e buscar mais celeridade para o caso.

Lúbia Cristina Costa, sobrinha do senhor José Pergentino, relatou que a busca por atendimento começou no Centro de Especialidades Odontológica (CEO), mas a recepcionista disse que o primeiro passo seria um encaminhamento pela Unidade Básica de Saúde da localidade onde o artesão reside. Lúbia e o senhor José buscaram depois o Pronto Atendimento Maria Marques, Bairro Jatobá, e lá conseguiram o atendimento a noite.

Os profissionais do Maria Marques deram um encaminhamento para a clínica escola das Faculdades Integradas de Patos (FIP) e lá foi feita uma radiografia panorâmica dental, porém, por falta de odontólogos no momento, o artesão foi buscar ajuda no Hospital Regional de Patos onde não houve solução devido não ser caso de urgência. Então se voltou para uma Unidade Básica de Saúde, para o CEO e depois se encaminhou para a clínica escola de odontologia da Universidade Federal de Campina Grande, Campus Patos (UFCG/Patos).

Depois de percorrer alguns locais, o senhor José Pergentino realizou atendimento cirúrgico na UFCG/Patos e foi coletado material para realização de biopsia, no entanto, já se percebe tumor na boca comprometeu a mandíbula e outras partes. Agora ele foi encaminhado para o Hospital Regional de Patos onde se pediu encaminhamento para o Hospital Napoleão Laureano, o Hospital do Câncer, em João Pessoa, que é referência para o caso.

Agora surgiu outra dificuldade, pois o senhor José Pergentino não tem Registro Geral (RG) e nem Cadastro de Pessoa Física (CPF). A sobrinha está em busca de retirar os documentos para que se dê os passos necessários para o tratamento. Como o artesão dispõe de Certidão de Nascimento, os servidores da Casa da Cidadania, em Patos, estão sensibilizados com a causa e se disponibilizaram para dar mais agilidade na confecção dos documentos.

O caso do senhor José Pergentino da Costa serve de alerta diante da grande incidência de câncer no Brasil. Quanto mais cedo se detecta o mal, mas existe possiblidade de cura.

 

 

Jozivan Antero – Patosonline.com

 

VIA: Patos Online

Deixe seu comentário