Padrasto mantém dois adolescentes em cárcere privado há mais de 24 horas

Padrasto mantém dois adolescentes em cárcere privado há mais de 24 horas

03/12/2019 às 15:30 Vista: 1 Vez(es)

Dois adolescentes, de 13 e 15 anos, são mantidos reféns pelo padrasto de 39 anos em Cafelândia (PR) desde o começo da tarde desta segunda-feira, 2.

O suspeito está armado com uma faca e não aceita as tentativas de negociação feitas pela polícia, que isolou a casa. Ainda não há informações sobre o que motiva o homem a manter seus enteados presos.

A polícia, advogados, conselheiros tutelares e psicólogos tentam acalmá-lo para que saia sem que seja necessário usar força tática, mas o humor dele oscila.

O padrasto tem usado um espelho para se comunicar com a polícia, mostrando ele e os adolescentes, que estão amarrados. Nesta última noite, o homem não dormiu, só as crianças. Ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) também estão no local.

No domingo, 1º, a mãe, que trabalha como doméstica, foi dormir na casa da patroa com a filha legítima do casal e quando voltou, percebeu o sequestro. O homem disse à companheira por telefone que ia matar os adolescentes e depois tirar a própria vida.

Segundo ela, o homem estava internado para tratar de problemas com dependência alcoólica e foi liberado recentemente. As informações são do Ric Mais.


Violência infantil: saiba identificar os sinais e como denunciar

Meninos e meninas são expostas a inúmero tipos de violência infantil no mundo todo. As violências e os acidentes são as maiores causas das mortes de crianças, adolescentes e jovens de 1 a 19 anos, no Brasil.

Tipos

Violência doméstica
Quando pensamos em violência doméstica, logo imaginamos pais batendo nos filhos. Mas esse tipo de violência infantil pode ser física, psicológica, sexual e manifestar-se por negligência, como: deixar a criança em casa sem vigilância, negligenciar cuidados médicos e alimentação adequada, exposição do menor a situações que gerem perigo à vida ou à saúde, utilização da criança para realização de trabalho.

Há um universo inteiro de formas como a violência pode se dar, como a síndrome de Munchausen por procuração (quando um dos pais simula sintomas de doenças inexistentes no filho), intoxicações, envenenamentos, violência virtua e até o extremo filicídio (quando a criança é morta por um dos pais).

Violência extrafamiliar
A violência extrafamiliar é aquela que acontece fora de casa e engloba as violências institucional, quando é praticada por alguém que tenha a guarda temporária da criança, como em uma escola, social, comum em países com grande desigualdade social, como o Brasil, e também algumas formas específicas, como bullying e cyberbullying.

O Bullying é a violência infantil que ocorre com maior frequência entre colegas de escola. Ele é caracterizado pela agressão, dominação e prepotência entre pares (crianças ou jovens). Colocar apelidos, humilhar, discriminar, bater, roubar, aterrorizar, excluir e divulgar comentários maldosos são alguns exemplos. Um quinto dos adolescentes entrevistados pelo IBGE, em 2015, do 9º ano do ensino fundamental, admitiram praticar bullying.

Autoagressão
Essa última inclui colocar-se em atividades de risco, formas de se autolesionar e suicídio.

Como denunciar?

Disque 100
Como nos casos de racismo, homofobia e outras violações de direitos humanos, qualquer cidadão pode fazer uma denúncia anônima sobre casos violência infantil pelo Disque 100. A denúncia será analisada e encaminhada aos órgãos de proteção, defesa e responsabilização em direitos humanos, respeitando as competências de cada órgão.

Aplicativo Proteja Brasil
Depois de instalar o aplicativo gratuito em seu celular, o usuário rapidinho, respondendo um formulário simples, registra a denúncia, a qual será recebida pela mesma central de atendimento do Disque 100. Se quiser acompanhar a denúncia, basta ligar para o Disque 100 e fornecer dados da denúncia.

Ouvidoria Online
O usuário preenche o formulário disponível aqui e registra a denúncia, a qual também será recebida pela mesma central de atendimento do Disque 100. Se quiser acompanhar a denúncia, basta ligar para o Disque 100 e fornecer dados da denúncia.

ONGs
Se for possível, procure Organizações que atuam para o combate ao problema, como o ChildFund Brasil e a Childhood Brasil.

Safernet
A Safernet é uma organização social que recebe denúncias de crimes que acontecem contra os direitos humanos na internet, incluindo pornografia infantil e tráfico de pessoas.

Conselho Tutelar
O Conselho Tutelar é responsável pelo atendimento de crianças e adolescentes ameaçados ou violados em seus direitos. Pode aplicar medidas com força de lei. A denúncia pode ser feita por telefone ou pessoalmente, na sede do conselho. Encontre o telefone do Conselho Tutelar mais próximo digitando “Conselho Tutelar + o nome do seu município” no Google.

CREAS / CRAS
Os Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) realizam o atendimento em atenção básica à população em geral, e os Centros de Referência Especializados de Assistência Social (CREAS) oferecem o atendimento de média complexidade, que inclui o atendimento psicossocial a crianças e adolescentes vítimas de violência sexual. Acesse o site do Ministério da Cidanania, localize as unidades por Estado ou município.

Ministério Público
Responsável pela fiscalização do cumprimento da lei. Os promotores de justiça têm sido fortes aliados do movimento social de defesa dos direitos da criança e do adolescente. Todo Estado conta com um Centro de Apoio Operacional (CAO), que pode e deve ser acessado na defesa e garantia dos direitos das crianças e dos adolescentes. No site da Childhood Brasil você encontra o contato do MP de todos os estados brasileiros.

O post Padrasto mantém dois adolescentes em cárcere privado há mais de 24 horas apareceu primeiro em Polêmica Paraíba.

VIA: Polêmica Paraíba

Deixe seu comentário