Por causa de reforma em prédio, UEPB quer ser guardiã do acervo de Edvaldo do Ó

Por causa de reforma em prédio, UEPB quer ser guardiã do acervo de Edvaldo do Ó

10/08/2016 às 11:30 Vista: 53 Vez(es)

O prédio em que funciona a Secretaria de Estado da Agricultura Familiar e Desenvolvimento do Semiárido, próximo ao Açude Velho, em Campina Grande, passará por uma reforma e até o dia 30 de agosto deste ano deve ser desocupado.

No prédio também funciona o jornal A União, Cehap, a gerência da Secretaria de Comunicação e Iphaep. O edifício tem um valor histórico para a Rainha da Borborema e, segundo informações, existe no prédio um acervo do professor Edvaldo do Ó dentro de umas salas.

A Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), atualmente, demonstra preocupação com esse acervo e tem interesse em se tornar guardiã dos documentos.

Foto: Paraibaonline

Foto: Paraibaonline

– Eu tenho informação a partir de uma nota, inclusive na rede social, e a princípio eu preciso saber se é patrimônio da Fundação Edvaldo do Ó ou é patrimônio do Estado para poder haver qualquer manifestação nossa para não tomar dianteira de ações que já podem ter outras instituições, no caso a Fundação Edvaldo do Ó, envolvidas ou comprometidas em alguma solução. De toda maneira, a universidade estará disponível a estabelecer algum tipo de parceria que assegure a guarda provisória desse material ou do equipamento, desde que não tenha muitas exigências de espaço físico e condições de conservação – disse Rangel Júnior (foto), que é reitor da UEPB.

Rangel ressaltou que Edvaldo do Ó foi um dos principais colaboradores na fundação da universidade, pois foi um dos principais idealizadores na criação da Fundação Universidade Regional do Nordeste (Furne), que se tornou posteriormente a UEPB.

Ele acredita que na cidade de Campina Grande poderia ter um espaço destinado para preservação da memória dos principais cidadãos, que contribuíram para história do município.

Segundo Rangel, isso faz parte da opinião a ser formulada no presente e no futuro por todas as gerações.

*As informações foram veiculadas na Rádio Campina FM.

VIA: Paraiba Online

Deixe seu comentário