Secretário do Estado prevê mais arrocho fiscal para 2017

Secretário do Estado prevê mais arrocho fiscal para 2017

21/12/2016 às 14:30 Vista: 91 Vez(es)

O secretário de Planejamento, Orçamento e Gestão do Estado, Waldson Sousa, nomeado recentemente pelo governador Ricardo Coutinho (PSB) em substituição a Tárcio Pessoa, disse à imprensa não ter boas perspectivas financeiras para o Estado em 2017, por conta ainda da grave crise financeira que atravessa o país.

Sendo assim, segundo ele, a prioridade do governo é manter o equilíbrio fiscal para manter o pagamento em dia.

Portanto, o secretário descartou qualquer tipo de reajuste ao funcionalismo público.

Foto: Paraibaonline

“Não é o momento para se tratar disso. A gente está fazendo o arrocho e a tarefa de casa que nos foi colocado desde 2015 e é isso que o governador tem defendido”, disse.

O secretário ressaltou ainda que as reduções já foram bastante significativas dos encargos gerais, da manutenção da folha sem crescimentos.

“É importante dizer que a gente não pode pensar que em 2017 teremos excesso de receita para fazer qualquer que seja o ajuste salarial. Não temos como trabalhar nesta perspectiva”, destacou.

Contudo, Waldson Sousa enfatizou ainda que a Paraíba está entre os estados que têm equilíbrio fiscal e a pretensão é de manter esse posto “e teremos que fazer essa condução no próximo ano”.

O secretário afirmou ainda que Ricardo Coutinho estuda enviar um pacote de medidas para a Assembleia Legislativa por conta do acordo feito entre os governadores e o presidente Michel Temer objetivando fazer ajustes nas contas públicas.

“Vamos discutir sim, as medidas necessárias e os impactos da emenda constitucional 95 para a Paraíba, ainda esta semana com o governador, o que vai depender da agenda dele, mas temos algumas legislações vigentes, a exemplo da emenda 94, que trata dos precatórios e a do teto dos gastos e outras que virão que não temos ainda a liberação dos textos como a da Previdência. Não sabemos como o Congresso vai concluir essa votação e se haverá modificações para que diante do cenário de cada Estado possa acompanhar ou não”, avaliou.

VIA: Paraiba Online

Deixe seu comentário