Parque Arruda Câmara realiza censo dos animais e reforça trabalho de preservação de espécies

Triagem

Parque Arruda Câmara realiza censo dos animais e reforça trabalho de preservação de espécies

16/05/2022 | 20:30 | 56

imagem17-05-2022-01-05-07

O Parque Zoobotânico Arruda Câmara (Bica), administrado pela Secretaria de Meio Ambiente (Semam), encerrou, nesta segunda-feira (16), o censo dos animais. O objetivo do trabalho, realizado todos os anos, é catalogar a chegada e a saída de cada espécie, contribuindo para a sua preservação.

A triagem é realizada com pequenos e grandes mamíferos, répteis e aves acolhidos no parque – algumas espécies são vítimas de tráfico e são trazidas pela Polícia Ambiental. Outras nasceram no próprio parque, como parte do programa de conservação de espécies, como o macaco-galego, por exemplo, que está sob ameaça de extinção. Tem ainda aquelas que são trazidas por meio de parcerias com outros zoológicos para emparelhar com outros animais, como no caso das onças pardas e irara.

O diretor geral do Parque, Rodrigo Fagundes, ressalta que a contagem dos animais atesta o trabalho de conservação e preservação realizado no Parque Arruda Câmara. “Um dos propósitos do zoológico é este, conservar espécies que estão ameaçadas de extinção. Então, esse censo visa exatamente ver o número de animais que nasceram e que o trabalho está sendo realizado para a perpetuação de espécies”, destacou.

imagem17-05-2022-01-05-08 imagem17-05-2022-01-05-10 imagem17-05-2022-01-05-11

Thiago Nery, diretor do setor de zoológico, explica que em alguns ambientes ocorrem à formação de casais e pode acontecer o nascimento de algum animal e passar despercebido, como no caso do Recinto das Aves, por conta da grande quantidade ‘moradores’. “Durante esse manejo, a gente captura e faz essa triagem, conseguindo identificar esses novos indivíduos, que são reportados ao sistema do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Renováveis (Ibama) e daí inseridos ao nosso plantel. É importante frisar que todos os animais dentro de um zoológico tem algum tipo de marcação, seja anilha, microchip, nanochip, um brinco ou uma tatuagem”, informou.

O diretor do setor de zoológico ressalta também que o registro de nascimento de algumas espécies só acontece quando as condições de bem-estar e de nutrição estão adequadas, sendo, portanto, um dos indicadores de sanidade do plantel. “A gente já tem nascimento de alguns novos animais como o bugio, guaxinins, macaco-galego e também postura de ovos de jacaré. Uma série de filhotes que ficamos muito felizes em receber em nosso plantel e de fazer parte da família da Bica”, afirmou.

  • Texto: Patrícia Cantisani Edição: Cristina Cavalcante Fotografia: Patrícia Cantisani/ Helze Lins/ Kleber Filho

  • Secretarias

    semam

  • Tags

    animais bica censo espécies meio ambiente parque arruda câmara preservação semam

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.