ZERO83

Notícias da Paraíba e Nordeste, futebol ao vivo, jogos, Copa do Nordeste

Prefeitura de Nova Iguaçu notifica Cedae pedindo providências contra alagamentos no bairro Marapicu

Prefeitura de Nova Iguaçu notifica Cedae pedindo providências contra alagamentos no bairro Marapicu




A Prefeitura de Nova Iguaçu notificou a Cedae, na tarde desta sexta-feira (16), para que sejam tomadas providências urgentes para a solução dos transtornos ambientais e sociais causados aos moradores da Avenida Abílio Augusto de Távora (antiga Estrada de Madureira), no bairro Marapicu, devido a uma obra paralisada da empresa de saneamento na Serra de Madureira, que foi licenciada pelo Inea (Instituto Estadual de Ambiente). No documento, a Secretaria Municipal de Infraestrutura destaca que a comunidade sofre com alagamento de ruas e casas e solicita “a adoção de providências urgentes para execução de desobstrução das redes de drenagem no local e prevenir futuros alagamentos”.

Em dias de chuvas, uma enorme quantidade de lama desce do morro, prejudicando sensivelmente o sistema de drenagem da região, que, até o início das obras da Cedae para a construção do reservatório, davam vazão às chuvas. Tanto que não há registros de queixas de moradores antes do início da intervenção da Cedae.

Outro problema observado pelos técnicos da Prefeitura é que a Cedae retirou sete hectares de vegetação da encosta da Serra de Madureira, uma contenção natural e fundamental para conter a água da chuva. Sem essa proteção, o solo fica solto e desce junto com a água, com resíduos e velocidade bem superior à anteriormente registrada, aumentando as chances de enxurradas, como a desta na última quinta-feira (15), que atingiu casas e ruas da localidade. A Empresa de Limpeza Urbana de Nova Iguaçu (EMLURB) retirou 40 toneladas de resíduos das vias afetadas. A Prefeitura, então, solicitou à Cedae que seja recuperada a vegetação a fim de proteger o solo e evitar novas erosões e seus consequentes prejuízos.

A Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente também solicitou que a Cedae dê informações sobre o projeto do reservatório, suas ações mitigadoras para a contenção do material solto e licença ambiental, entre outros.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *