ZERO83

Notícias da Paraíba e Nordeste, futebol ao vivo, jogos, Copa do Nordeste

Pioneiro no Brasil, MS Acessível promove a cidadania para pessoas com condições ocultas ou invisíveis

O Governo de Mato Grosso do Sul, por meio da SEC (Secretaria de Estado de Cidadania), lançou hoje (2) o programa ‘MS Acessível: Promovendo a Cidadania para Pessoas com Condições Ocultas ou Invisíveis’, para incentivar a aceitação e a compreensão do uso do cordão de girassol.

Mato Grosso do Sul é pioneiro ao instituir o uso do cordão, em 2022, como instrumento auxiliar de orientação para a identificação de pessoas com condições ocultas, enquanto a Lei Federal foi publicada apenas no ano passado. O Estado se destaca, mais uma vez, como o primeiro do Brasil a cumprir a legislação por meio do programa.

A ação torna o Estado cada vez mais inclusivo e possibilita o acesso às políticas públicas diversas que garantem direitos a todos os cidadãos. O governador, Eduardo Riedel, participou da solenidade de lançamento do programa realizado esta tarde no Bioparque Pantanal, em Campo Grande, juntamente com a primeira-dama, Mônica Riedel, e a secretária da SEC, Viviane Luiza.

“É uma iniciativa louvável, um passo importante que a sociedade de Mato Grosso do Sul dá no dia a dia para que haja respeito, inclusão, capacidade de o Estado acolher as diversas situações de condições invisíveis ou ocultas que as pessoas têm e muitas vezes incompreendidas. Precisamos tornar este processo visível para que todos tenhamos capacidade de acolher. Um estado que evolui, sem deixar ninguém para trás neste sentido também”, afirmou o governador, Eduardo Riedel.

O Programa MS Acessível, ligado à SEC, tem como objetivo garantir os direitos, a cidadania e a qualidade de vida à população com tais condições no Estado, e tornar o Mato Grosso do Sul cada vez mais inclusivo.

“O cordão é a materialização da lei que o Mato Grosso do Sul teve antecedência, com a humanização dos serviços do Governo do Estado para toda a população. Já tivemos mais de 780 servidores fazendo a capacitação. A SEC sai a frente com 100% dos servidores capacitados para o atendimento. A gente precisa entender a diferença do cordão com fundo branco e verde para fazer a materialização da inclusão, que é um dos pilares do Estado”, afirmou a titular da SEC, Viviane Luiza.

“Temos o desafio de transformar quem ainda não compreende, levar a vivência e ensinar todos a enxergarem. É meu desejo que a gente consiga transformar a sociedade, para que tenha mais inclusão e respeito com todos”, afirmou a primeira-dama Mônica Riedel.

Com a entrega dos cordões, o verde com girassóis amarelos, que sinaliza uma condição invisível e o branco, que demonstra ao público que aquela pessoa está capacitada para atender com empatia, o Governo do Estado incentiva o uso, ao mesmo tempo em que conscientiza servidores quanto à promoção de cidadania.

A servidora Luciany Moraes, trabalha no setor de protocolo da SEC e foi capacitada para atender pessoas com condições ocultas ou invisíveis. “Eu trabalho na porta de entrada da secretaria, é onde recebemos documentos. Temos que estar sempre atentos e também tratar a todos com cuidado, acolher”.

Para as famílias com pessoas que tem condições ocultas ou invisíveis, os cordões – branco e verde com girassóis amarelos – representam inclusão e cuidado. Téo, 4 anos, é autista – além de ter altas habilidades –, e dentro de suas particularidades, expressa sentimentos e é carinhoso até com desconhecidos. Ele participou da solenidade, ao lado da família, interagiu, distribuiu beijos e abraços para quem estava por perto, tudo acompanhado de perto pelos pais. A mãe dele, Adriana Cristina Azuaga, relatou que o programa traz a sensação de pertencimento à família. “Recebemos o diagnóstico do Téo a dois anos. E em ações como esta, nosso sentimento muda, a gente se sente cuidado”, disse Adriana.

O que é o cordão?

“Sunflower” – que traduzindo do inglês significa Girassol, começou em 2016, quando funcionários do aeroporto Gatwick, de Londres, perguntaram como poderiam reconhecer e ajudar aquelas pessoas que têm uma condição oculta. O que eles queriam era uma solução que fosse visível, à distância, mas também discreta de forma que os usuários se sentissem confortáveis, e assim nasceu o Cordão de Girassol, iniciativa liderada pela HD Sunflower – A Hidden Disabilities Sunflower.

Condições ocultas ou invisíveis são aquelas que não são imediatamente óbvias – nem toda pessoa com deficiência usa cadeira de rodas, nem todo deficiente visual usa bengala guia ou deficiente auditivo, o aparelho.

As condições ocultas ou invisíveis são aquelas que não são imediatamente óbvias, como autismo, dificuldade de aprendizagem, mobilidade ou condições que causam dor crônica.

O Cordão de Girassol permite que essas condições se tornem visíveis, e o apoio e assistência necessária possa ser fornecido. O verde pode ser usado pelas pessoas com condição oculta quando viajam, em filas de espera, compras ou qualquer lugar onde precisem de apoio. Na prática, o que ele faz é identificar, de longe, que a pessoa que o usa tem uma condição oculta e pode precisar de ajuda adicional, compreensão ou um pouco mais de tempo.

Já o branco pode ser usado por funcionários, profissionais de saúde ou empresas participantes e organizações, que são treinadas para oferecer ajuda aos usuários.

Em Mato Grosso do Sul, a Secretaria de Estado da Cidadania junto com a Escolagov, realiza a formação para servidores do Poder Executivo Estadual e demais interessados da comunidade. O módulo explica o que é o Cordão de Girassol e seus objetivos e como tratar adequadamente o usuário do cordão. Depois de realizado o curso, o servidor recebe o cordão branco, que sinaliza acolhimento e empatia.

Natalia Yahn, Comunicação Governo de MS
Paula Maciulevicius, Comunicação SEC

Fotos: Saul Schramm

ATENÇÃO: confira aqui o pack imprensa com imagens de apoio, sonoras e fotos do lançamento

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *