ZERO83

Notícias da Paraíba e Nordeste, futebol ao vivo, jogos, Copa do Nordeste

Tardezinha Inclusiva celebra a força das mães com filhos autistas

A alegria, o entusiasmo e a diversão tomaram conta do Centro Cultural de Mangabeira neste domingo (26). É que mães e filhos se reuniram para a 30ª edição da ‘Tardezinha Inclusiva – Somos Capazes’, ação realizada pela Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope), Associação Paraibana de Autismo (APA) e Turma Tá Blz. O projeto tem como objetivo colocar na agenda da sociedade pessoense a inclusão social de crianças com Transtorno do Espectro Autista (TEA). E nesta edição de maio, as mães receberam uma homenagem especial.

Foi uma tarde para brincar, correr, dançar e cantar com as atrações musicais. A promotora de eventos Janice Silva de Medeiros, de 42 anos, e a filha Jenifer Carla, de 7 anos, foram algumas das pessoas que aproveitaram a festa. Elas já participam do projeto há dois anos. Segundo Janice, a Tardezinha é um espaço de acolhimento, já que, em geral, a sociedade é preconceituosa com pessoas com TEA.

“Todos os dias são novas experiências para quem convive com um autista. E aqui a gente aprende uns com os outros. É muito gratificante um espaço como esse para a gente trazer as crianças para brincar, e, nós mães, acabamos nos divertindo também”, compartilhou Janice.

A dona de casa Juliana Gonçalves da Silva, de 33 anos, e a filha Pérola Sophia, de 3 anos, também participaram da Tardezinha Inclusiva. Pérola foi diagnosticada com hiperatividade e, para Juliana, esta nova maternidade tem sido uma experiência completamente diferente.

“Já sou mãe de uma adolescente de 18 anos. Então, quando Pérola nasceu, eu tive que aprender tudo de novo. Eu tive que parar com minha rotina de trabalho para cuidar dela. Mas eu encaro tudo como um presente de Deus, uma oportunidade de aprender com minha filha”, revelou.

O diretor executivo da Funjope, Marcus Alves, ressaltou que a Tardezinha Inclusiva é uma das políticas que a Prefeitura de João Pessoa vem realizando para a inclusão social de crianças e jovens com Transtorno do Espectro Autista por meio das artes. O projeto já promoveu, por exemplo, piquenique, sessão de cinema, encenação teatral e quadrilha junina com os integrantes.

“Esse projeto mostra que as crianças autistas têm criatividade e condições de interação social. Uma ação integrada que articula cultura, arte, assistência jurídica, psicopedagogia e assistência social. E foi esse trabalho que capacitou o prefeito Cícero Lucena a receber este ano o prêmio ‘Orgulho Autista’ – o único prefeito do Brasil a ser contemplado com a láurea”, comentou Marcus Alves.

A animação da festa ficou por conta da cantora Nik Fernandes e do DJ Jhony Fernandes. Quando subiu ao palco, Nik, que é uma das organizadoras da Tardezinha Inclusiva, fez mães e filhos pularem e dançarem ao som de músicas como “Anna Júlia”, de Los Hermanos, e “Sonífera Ilha”, de Titãs.

“Nesta tarde vamos celebrar todas as mães e ‘pães’, porque a gente sabe que aqui, muitas de vocês, fazem o papel de mãe e pai ao mesmo tempo”, destacou em sua fala na abertura do show.

Nik Fernandes comentou que a Tardezinha Inclusiva vem homenagear esse poder que mães solo têm de largar seu emprego, sua faculdade, para ir cuidar de seus filhos autistas. “Essas mães são muitas, e nós, enquanto sociedade, precisamos dar voz e cuidar de quem cuida da gente”, frisou.

Além de Nik, se apresentaram o grupo Difers, os palhaços Baba Baby e Kika, além das dançarinas Eliza e Nay. Também participaram da programação o cantor Tiago Arraes e os cantores autistas Estella Louise, Lucas, Davi, Ana Beatriz, que homenagearam suas mães.